• Leo C. Arantes

Frostbite: Morte Gélida

Atualizado: Mar 24


O roteirista Joshua Williamson, conhecido por seu trabalho em The Flash apresenta em Frostbite uma mistura de O Dia Depois de Amanhã com Mad Max. Uma HQ de ação no estilo road story em um mundo pós-apocalíptico, que está passando por uma nova Era do Gelo e enfrenta uma epidemia mortal um tanto curiosa.

Roteiro

A 57 anos atrás o planeta foi imerso em um nova era do gelo, deixando até cidades como Los Angeles sob temperatura abaixo de zero. Não bastasse esta catástrofe, a humanidade ainda sobre com uma epidemia mortal, a geladura, que ataca de dentro para fora, congelando o indivíduo até ele se transformar em um único bloco de gelo.


A doutora Victoria Bonham, junto de seu pai procuram os traficantes de pessoas Chuck, Barlow e Keaton para ajudá-los a chegar à Alcatraz, antiga prisão que hoje é uma base científica, onde Victoria pode desenvolver a cura para a doença que assola a humanidade.

Mas não são só eles que estão atrás da cura, um homem chamado Burns, extremamente rico e poderoso, que sofre com a doença envia seus capangas para raptar a cientista a fim de obrigá-la a desenvolver a solução para a geladura. Seus asseclas, liderados por Fuego, um contrabandista rival de Keaton, saem em perseguição da protagonista.


No trajeto Keaton e sua equipe sofrem algumas baixa enfrentam vários perigos, incluindo outras facções, bem ao estilo Mad Max, como os Bombeiros e as Rainhas do Gelo, proporcionando ótimas cenas de ação, com direito a um navio adaptado para andar sobre o gelo chamado Titanic (o que gera um trocadilho bem safado).


Veredito

O universo criado por Williamson apesar de simples e até um tanto desgastado, como é a temática pós-apocalíptica, é bastante interessante, tendo elementos de diversas obras consagradas das cultura pop, como os filmes Filhos da Esperança, em que a humanidade é ameaçada pela falta de natalidade e a única mulher grávida é disputada por várias facções, e O Livro de Eli, não só pela presença de um McGuffin* mas principalmente por também ter Alcatraz como um objetivo final, além das dificuldades que os personagens principais passam durante o percurso. Já arte, muito bonita por sinal fica por conta de Jason Shaw Alexander, ambientando perfeitamente o leitor naquele mundo gelado. Seu traço sujo em tom aquarelado lembra muito a de Mike del Mundo, ao fim da fase de Jason Aaron em Thor, e Andrea Sorrentino em Velho Logan.



17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo